Dá pra curtir o inverno no Brasil, sim! Veja dicas

Trilhas, vinhos, fondue e ótimas hospedagens fazem parte da programação das melhores cidades para curtir no inverno

Dá pra curtir o inverno no Brasil, sim! Veja dicas

1. Pousada Mirante da Colyna, em Monte Verde (MG)

1. Aproveitar as trilhas e comer fondue em Monte Verde (MG)

Aproveitar o friozinho nas charmosas pousadas, que oferecem banheiras de hidromassagem e lareiras, por exemplo, é apenas uma das atividades para se fazer em Monte Verde. Outra dica é comer um delicioso fondue, servido em diversos restaurantes, e aproveitar para passear pelo centrinho da cidade. Para os casais aventureiros, basta seguir as trilhas que levam a ótimos mirantes da Mantiqueira.

2. Lareira e ofurô no chalé da Pousada A Rosa e o Rei

2. Fazer trilhas em São Francisco Xavier (SP) O pequeno distrito de São Franciso Xavier é uma boa alternativa para quem procura um refúgio na serra mas não dispensa um certo movimento. As pousadas contam com banheiras e ofurôs. A pousada A Rosa e o Rei, por exemplo, oferece ainda aulas de yoga, massagens e meditação. Os restaurantes e as lojas ficam no centro e as pousadas estão espalhadas, a maioria delas com acesso por estrada de terra e um pouco distantes do agito. Os casais mais aventureiros podem fazer trilhas em locais com quedas d’água, experimentar as tirolesas, rapel e passieo a cavalo. Para os mais contidos, a dica é conhecer os principais ateliês da cidade. (Bia Parreiras)

3. No passeio de Maria Fumaça, o trem até São João Del Rei margeia o Rio das Mortes com vista da Serra de São José

3. Passear de Maria Fumaça em Tiradentes (MG) O centro histórico da pequena cidade mineira é a grande atração para os visitantes. Entre os principais pontos turísticos do local estão as igrejas, entre elas a Matriz de Santo Antônio, uma das mais antigas do Brasil, o museu da Liturgia e o Chafariz de São José. O passeio de Maria Fumaça, entre São João del Rei e Tiradentes, é outra boa dica para quem visita a cidade. (Sérgio Mourão/Acervo SETUR-MG)

4. Rua Coberta, Gramado, Rio Grande do Sul

4. Tomar um chocolate quente na charmosa Rua Coberta, em Gramado (RS)  Com temperaturas que podem ser negativas no inverno, Gramado atrai turistas o ano inteiro. A charmosa Rua Coberta, que é uma galeria protegida por um telhado de vidro e trepadeiras, reúne bares, cafés e bistrôs e é ideal para um passeio e um chocolate quente. No jantar, prove uma fondue em um dos restaurantes suíços estrelados da cidade: Belle Du Valais ou Le Petit Clos. Aproveite para visitar os museus de Gramado, como o Hollywood Dream Cars, ou o zoológico da cidade. (Mario Rodrigues)

5. Apfelstrudel servido na Confeitaria Martha

5. Comer cucas e strudels em Canela (RS)  A pequena cidade que faz divisa com Gramado também tem forte influência alemã, com deliciosos apfelstrudels e cucas, servidos em vários restaurantes. Entre os restaurantes da cidade, o Cantina 28 se destaca. Focado na cozinha italiana, tem como prato principal a polenta.O Parque do Caracol é parada obrigatória. Lá, é possível ver a Cascata do Caracol, uma queda d’água com mais de 130 metros . (Marcelo Curia)
6. Morretes (PR)

6. Viajar de trem até Morretes e se deliciar com o famoso “barreado” (PR) Uma boa maneira para quem quer conhecer Morretes e Antonina é começar embarcando no antigo trem da Ferrovia Curitiba-Morretes-Paranaguá que sai da capital paranaense. No trajeto, de aproximadamente três horas, o trem passa por pontes, viadutos, cachoeiras e vegetação exuberante. Ao chegar em Morretes, não deixe de passear pelas estreitas ruas da cidade e comer o tradicional “barreado”, que consiste em uma porção de carne cozida por horas dentro de uma panela de barro com tampa vedada. Uma opção de restaurante que oferece o prato é o Armazem Romanus, no centro da cidade. Depois de comer o barreado, aproveite e estique o passeio até a charmosa Antonina. (Elaine Skowronski)

7. Região serrana de Guaramiranga, Ceará

7. Trekking em Guaramiranga (CE) Para chegar até o município serrano de Guaramiranga, é preciso percorrer 110 quilômetros a partir de Fortaleza. Com temperaturas que variam de 18 a 25ºC, o município encontra-se a 865 metros de altitude. Entre as principais atrações estão os mirantes naturais, como o Pico Alto, cachoeiras, trilhas e eventos culturais, como o Festival Nordestino de Teatro. (Divulgação)

8. Travessia da Serra dos Órgãos, em Petrópolis, Rio de Janeiro

8. Passear pela histórica Petrópolis (RJ) 

Localizada no alto da Serra da Estrela, Petrópolis surgiu em 1843, quando Dom Pedro II construiu a residência de verão da família real. Hoje, a casa abriga o Museu Imperial, com quase sete mil peças dos séculos 18 e 19. A cidade pode ser base para o Parque Nacional da Serra dos Órgãos onde fica a famosa formação rochosa batizada de Dedo de Deus (em Teresópolis).

9. O frege de Capivari, em Campos do Jordão

9. Badalar em Campos do Jordão (SP)  A cidade é ideal para quem gosta de frio e badalação. Caminhar pelas lojas e bares da Vila Capivari é um programa clássico, terminando com uma boa cerveja na Baden Baden. As baladas também são outro grande atrativo da cidade. Para quem curte a natureza, vale o passeio de teleférico e a visita ao Horto Florestal. (Ligia Skowronski)

10. Pedra Azul, Domingos Martins, Espírito Santo

10. Visitar o Parque Estadual da Pedra Azul em Domingos Martins (ES) Localizada na região montanhosa do Espírito Santo, Domingos Martins foi colonizada por alemães e sua arquitetura é bastante parecida com as vilas daquele país. O passeio pelo Parque Estadual da Pedra Azul é indispensável para quem visita a cidade. O parque exibe uma grande formação rochosa de mais de 1800 metros que muda de cor dependendo da incidência do sol. (Weverson Rocio).

11. Morro da Igreja, Urubici, Santa Catarina

11. Brincar na neve em Urubici (SC) Para quem gosta mesmo de baixas temperaturas e tem esperança de ver neve no Brasil, Urubici pode ser o lugar ideal para o inverno. Bucólica, a cidade é charmosa, possui boas opções gastronômicas e tem uma paisagem formada por montanhas, araucárias, cascatas e cachoeiras. (Divulgação).
12. Cerâmicas e bordados da Casa do Artesão em Cunha

12. Comprar cerâmicas em Cunha (SP)  A cidade abriga charmosos ateliês e o local é conhecido por suas belíssimas cerâmicas. Alguns ateliês abrem uma fornada para os turistas conhecerem melhor o processo para a criação das peças. A caminhada pela Trilha do Ouro e na Calçada do Ouro são dois dos passeios famosos da cidade. Não deixe de visitar a Pedra da Marcela, onde é possível observar Paraty e o Oceano Atlântico. (Priscila Zambotto)

13. Parque Nacional da Serra da Bocaina

13. Fazer uma trilha de mais de 50 quilômetros no Parque Nacional da Serra da Bocaina (SP) Localizado entre os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro o Parque Nacional da Serra da Bocaina tem uma área que vai desde o nível do mar até altitudes que chegam a mais de 2 mil metros. Existem várias trilhas dentro do parque e em uma delas, conhecida como Trilha do Ouro, a caminhada ultrapassa os 50 quilômetros e passa por belas paisagens, montanhas e cachoeiras. A pequena cidade de São José do Barreiro (SP) é a porta de entrada para o parque. (andresumida/Flickr)

14. Teatro Ópera de Arame, Curitiba

14. Curtir os parques e pontos turísticos de Curitiba (PR) Com cara de cidade europeia, Curitiba registra temperaturas bem baixas durante o inverno, uma boa desculpa para conhecer os rodízios italianos dos restaurantes do bairro de Santa Felicidade. O Jardim Botânico e o Teatro Ópera de Arame são pontos turísticos que não podem deixar de ser visitados. Os parques também merecem atenção especial, entre eles o Tanguá e o Barigui. (Guilherme Scholz/Flickr)

15. Neve em São Joaquim

15. Tomar um vinho e ver neve em São Joaquim (SC) Frio e neve são as principais atrações da cidade. Passeios pelas montanhas e degustação de vinhos também fazem parte do circuito turístico do município. Não deixe de visitar a Vinícola Villa Francioni, que oferece um passeio guiado e termina com uma aula-degustação. Ao circular pelas estradas é possível ver pequenas plantações de macieiras. (Nani Gois)

16. Visconde de Mauá

16. Contemplar a natureza de Visconde de Mauá (RJ) A natureza é um ótimo atrativo para quem visita a cidade, repleta de cachoeiras e paisagens de serra. Hoje, porém,Visconde Mauá é mais associada a hospedagens confortáveis e bons restaurantes – caso dos estrelados Rosmarinus Officinalis, Gosto com Gosto e Babel. A cidade é dividada em três vilas: Visconde de Mauá, Maromba e Maringá. Boa parte das lojas, restaurantes e hoteis ficam em Mauá e Maringá. Já Maromba abriga atrativos naturais, como a cachoeira do Escorrega. Em maio acontece o Mês do Pinhão, onde a maioria dos restaurantes da região servem pratos à base de pinhão e produtos orgânicos da região. (Ana Paula Hirama/Flickr)

17. Boia-cross na piscina do Hot Park

17. Nadar nas águas de fontes naturalmente aquecidas de Caldas Novas (GO) Para quem não gosta tanto do inverno, a dica é visitar Caldas Novas e sua vizinha, Rio Quente. A combinação de uma boa infraestrutura e as águas de fontes naturalmente aquecidas (que chegam a 37º), transformou os dois locais em um dos principais centros turísticos do país. Entre os destaques está parque aquático Hot Park, com toboáguas e até uma praia artificial. (Carmen Fukunari)

18. Além das peças de lã, que fizeram a fama de Serra Negra, artigos de couro a preços acessíveis têm sido cada vez mais procurados

18. Fazer compras e comer queijos e vinhos em Serra Negra (SP) Com uma população de pouco mais de 25 mil habitantes e com um clima ameno, Serra Negra é conhecida pelas lojas que vendem malhas e casacos a bons preços. Além das compras, os turistas podem aproveitar a boa culinária do município, visitar sítios que produzem queijos, vinhos (de uva e laranja, por exemplo) e café. A cidade também tem várias fontes de águas minerais com propriedades terapêuticas, como o Parque das Fontes, o Parque Fonte Santo Agostinho e o Parque e Fonte São Luiz. Não deixe de passar pelo conhecido restaurante Sr. Bacalhau, que oferece três versões do peixe. (Mario Rodrigues)

Fonte: Viagem Turismo